Baxter Dury


Baxter Dury
Originally uploaded by Stuart Murdoch.

Nos últimos tempos, torna-se cada vez mais um lugar comum o reencontro nocturno com Baxter Dury. A horas tardias, quando na 2: é reposto um documentário e as luzes do sotão se apagam, reemerge nas colunas Floorshow, album de 2005 do senhor em questão. Filho de Ian Dury, diz-se que nasceu ao mesmo tempo que os Blockheads, a banda que acompanhava o seu pai, tocava na cave o clássico de Chuck Berry "Johnny be good". Cresceu nos corredores de estúdios de gravação, esbarrando com os The Clash e tantos outros, e ainda assim não seguiu os passos do seu pai. Até à morte deste em 2000, a sua experiência musical era nula. Porém, a partir daí tudo mudou com a gravação de um EP e finalmente ... regressamos a 2005.

E o que tem Floorshow de especial? Desde logo uma incrível primeira faixa de nome 'Francesca's party', em que Baxter abandona a sonoridade mais acústica do seu primeiro EP {'Len Parrot's memorial lift'} proclamando : «In love with myself / No matter how hard you try to fall from grace » . Ao longo de todo o album surge um som hermético, por vezes sujo, em que linhas de guitarra se sobrepõem em camadas, construindo por vezes temas que nos remetem para o imaginário dos The Velvet Underground. A melodia está lá e permanece intacta, mas dispersa-se na voz algo etérea de Baxter Dury, na forma indiferente como se limita a repetir : « Lisa said / noone's standing next to me ... », poucos momentos antes de ameaçar um explosivo refrão, que não chega a aparecer. Ao longo de nove faixas, Baxter esconde-se atrás de uma escrita aliciante e de uma teia de guitarras, mas não consegue esconder o brilhantismo deste Floorshow. É bom descobrir albuns assim. E agora vou dormir ...