Review : AC Newman


AC Newman
Originally uploaded by AdamGreen.

Afinal a opção repeat no Winamp destina-se á audição contínua de Drink to me babe , then! Não é que as restantes faixas de The slow wonder possam ser menosprezadas, porém esta pequena pérola indie/folk leva-nos a questionar " Quem é este AC Newman ? " Mal sabia eu que já me tinha cruzado anteriormente com este rapaz, desde logo na banda sonora dessa fonte inesgotável de indie pop chamada The OC , mas também sob o formato de The new pornographers , o projecto oriundo de Vancouver no qual AC Newman é vocalista e guitarrista. Após um intervalo, na carreira destes ultimos, decidiu editar o seu primeiro album a solo, e que album! The slow wonder é, como alguma crítica o qualificou, um manual de power pop, escrito sobre riffs de guitarra, uma forte percussão e refrões viciantes e imediatos. Ao longo de 11 faixas AC Newman ascende ao mesmo patamar de contemporâneos como os The shins ou Brendan Benson, revisitando também os The kinks de Ray Davies (On the table parece saída de Lola vs Powerman & the moneygoround, album kinkiano de 1970). A sua lírica é algo dispersa e por vezes bem simples, mas ainda assim não deixa de nos remeter para o imaginário de JG Ballard em Come crash («That's luck, she led, we should be dead / We eyed the wreck / Good god, we said...») ou para a, algo confusa por vezes, escrita de Stephen Malkmus em Better than most («Your lipstick is thick but Paris is gone / And I wish this was a crowded room, now the challenge is on...»). Em The slow wonder a cena indie norte americana ganha mais um singer songwriter de eleição : AC Newman, mais um nome a fixar e sob escuta.



Pedro Sousa