A hot summer's night not only in Hammer Hill ...

Your arms around me
(Jens Lekman)

I was slicing up a watermelon
When you came up behind me
With your quiet brand new sneakers
Your reflection i did not see

It was the hottest day in August
And we were heading for the sea
For a second my mind just drifted
You put your arms around me

Blood sprayed on the kitchen sink
What's this ? - i had time to think
I see the tip of my index finger
My mind is slowly creating a ring

From your mouth speaks a lovely voice
The best comment i've ever heard :
« Oh honey, you cut up your index finger
I bet that's gotta hurt ! »

You put your arms around me ...

I must have passed out on the portch
I never seen so many bright stars
When i wake up i'm in the waiting room
At the local ER

My hands all wrapped on toilet paper
And my shirt's all stained with blood
You come at me with a cup of coffee

You put your arms around me ...


Só comam melancia quando se sentirem verdadeiramente sós ...

Setlist de 24 de Junho 2006


O sobrevivente
Originally uploaded by Stuart Murdoch.

Chama-se Retrovisor a biografia musical de Sérgio Godinho. Assinada por Nuno Galopim, reúne longas conversas com SG, através das quais vamos não só decifrando os segredos que se escondem atrás de Etelvina, Barnabé, e outras tantas personagens do imaginário godinhesco, como somos levados a revisitar as últimas décadas da História deste país, pelo olho clínico e crítico daquele, que na minha opinião, é o maior escritor de canções português. Esta colecção de testemunhos vários percorre toda a obra de Godinho, surpreendendo-nos aqui e ali, quando descobrimos que, por exemplo, A noite passada foi escrita numa cela de uma prisão no Brasil. O que aqui releva não é o percurso de Godinho, mas sim o das suas canções, que nos levam então às encruzilhadas da sua vida. Retrovisor é um livro desarmante, cuidado e que faz justiça à obra de Godinho. Mas como o mesmo cantou em Espectáculo, « por vezes a luz desta outra ribalta não me seduz / às vezes não me faz falta / não me seduz ... ».

01. Sérgio Godinho :: a última sessão [ Lupa ; 2001 ]
02. Sufjan Stevens :: the mistress witch from McLure (or the mind that knows itself) [ The avalanche ; 2006 ]
03. Juana Molina :: Elena [ Son ; 2006 ]
04. Ane Brun :: rubber and soul [ Temporary dive ; 2006 ]
05. Field Music :: got to get the nerve [ Field Music ; 2005 ]
06. The Futureheads :: skip to the end [ News and tributes ; 2006 ]
07. Camera Obscura :: Lloyd, i'm ready to be heartbroken [ Let's get out of this country ; 2006 ]
08. Le Futur Pompiste :: it's not you [ Your stories and your thoughts ; 2005 ]
09. Field Music :: it's not the only way to feel happy [ Field music ; 2005 ]
10. Adem :: launch yourself [ Love and other planets ; 2006 ]

A não perder, este video : http://www.youtube.com/watch?v=jTSvZ_VlF5s&search=Ane%20Brun

Até à próxima semana, sempre « de cabeça entre as orelhas » !

When i'm sixty four


Paul Macca is 64 !!
Originally uploaded by Stuart Murdoch.

Raramente me recordo do dia de aniversário daqueles que me rodeiam, o que, por vezes, se torna bastante embaraçoso. No entanto, há já alguns dias que tomei nota da singularidade deste 18 de Junho, o dia em que o Paul se reencontra com uma das suas primeiras, e mais marcantes, composições. E o Paul, bem ... o Paul não é um estranho cá por casa. Tem estado presente desde os meus 5 / 6 anos, seja acompanhado pelo John, pelo Ringo e pelo George, por sapos ou mesmo a solo. Dessa altura ainda guardo os vinyl's que giravam vezes sem conta num agora já datado Panasonic. Mas este legado do meu pai não se limitou à capa vermelha e azul de Tug of war (do qual escutei vezes sem conta Ebony & ivory) e ao olhar fixo da capa de Paul McCartney II ("Temporary secretary / temporary secretary"). Desde cedo foi-me transmitida a ideia de que o Paul era o mais atinado, inteligente e talentoso dos Fab 4, e com essa imagem cresci, admirando-o e tendo nele uma das minhas maiores referências. Só mais tarde puxei os restantes Beatles para um patamar semelhante; mas ainda hoje, devo confessar, que sou um profundo "McCartiano". Okay, o John escreveu A day in the life ... mas o Paul tem aquele rasgo de brilhantismo de quebrar os delírios do John com um despertador e um pouco de realidade ("Woke up / fall out of bed / drag the comb across my head (...) somebody spoke and i went into a dream") . Sem ele não teria conhecido a Lovely Rita, o Rocky Racoon, o Uncle Albert, a Eleanor Rigby ...

When i get older, loosing my hair
Many years from now
Would you still be sending me a Valentine ?
Birthday greetings, bottles of wine ?

Would you still need me ?
Would you still feed me, when i'm 64 ?


- Sure we will Paul. Sure we will! :)

Setlist de 03 de Junho 2006


Neil Hannon
Originally uploaded by Stuart Murdoch.

O caos criativo parece ter chegado a casa da família Hannon. Neil, até hoje um obcessivo e criterioso compositor, que delineava cada passo do seu processo criativo, tornou-se disperso, descomprometido, desprovido da vontade que conduziu Promenade, Casanova ou Absent friends, vontade esse de se pôr à prova perante a crítica, de ser recordado como autor da definitiva obra pop. Desses projectos conceptuais, grandiosos nas suas orquestrações, imersos em citações literárias, cinematográficas, culturais, muito pouco resta. O cliché seria apontar a sua recente condição de pai como light motiv para esta súbita acalmia, mas que diabo, o rapaz tem um estúdio em casa, e foi no seu sótão que passou a maior parte do Verão passado, segundo o próprio. Compôs temas para Jane Birkin, para Charlotte Gainsbourg, para o seu companheiro de longa data, nas suas aventuras musicais, Joby Talbot, participou de bandas sonoras. Dividiu pois o seu tempo entre a paternalidade do rés do chão e a criatividade do seu sótão. Então como explicar aquela dispersão que se sente ao ouvirmos este Victory for the comic muse ? Segundo Neil é bem simples. Durante todo esse tempo, enquanto compunha e gravava temas para outros, escrevia um ou outro tema, sem qualquer critério, fruto do momento. Quando chegou ao final do Verão de 2005, deu-se conta de que tinha cerca de 30 temas, que, ao contrário do que tinha feito no passado, decidiu editar, sem se preocupar se uns e outros se ligavam entre si ou se comprometiam com um conceito pré-determinado. Desta vez, segundo o próprio, limitou-se a editar onze deles, como qualquer outro músico faria. O resultado, encontramo-lo em Victory for the comic muse, o seu nono album de originais, desta vez sim (e como em 1995 anunciava em Casanova) « a collection of songs by The Divine Comedy ... ».



01. Pelle Carlberg :: telemarketing [Everything. Now! ; 2005]
02. Ane Brun :: song #6 {feat. Ron Sexsmith} [Temporary dive ; 2006]
03. Ron Sexsmith :: never give up [Time being ; 2006]
04. Amy Millan :: hard hearted (ode to Thoreau) [Honey from the tombs ; 2006]
05. Neko Case :: that teenage feeling [Fox confessor brings the flood ; 2006]
06. Sufjan Stevens :: Chicago (acoustic version) [The avalanche ; 2006]
07. Jose Gonzalez :: heartbeats [Heartbeats ; 2006]
08. The Divine Comedy :: diva lady [Victory for the comic muse ; 2006]
09. The Divine Comedy :: mother dear [Victory for the comic muse ; 2006]
10. Belle & Sebastian :: whiskey in the jar [The blues are still blue ; 2006]
11. Juana Molina :: no seas antipática [Son ; 2006]

Farewell ...

Setlist de 20 de Maio de 2006


The spinto band
Originally uploaded by Stuart Murdoch.

Oriundos do estado de Delaware, muito pouco se conhecia acerca dos The Spinto Band (na foto), antes de estes lançarem em 2006 o seu quarto album de originais, 'Nice and nicely done'. Após terem escolhido o nome da banda a partir de um cromo de baseball (o jogador que nele figurava chamava-se Roy Spinto), os The Spinto Band formaram-se em 1999, partindo da vontade mobilizador de Nick Krill, o vocalista da banda. Comparados aos Broken social scene, marcadamente influenciados pelos Pavement, paira por vezes sobre eles o fantasma dos The arcade fire, comparação essa que por vezes parece redutora, dado explorarem sonoridades indie mais dispersas (e certamente mais indie pop) que o colectivo canadiano. Nice and nicely done, sob escuta na RUC ede forma mais dedicada neste Pop Dealer.

Pop Dealer este, realizado e apresentado por Henrique Costa, que como a setlist o pode comprovar, alargou os horizontes desta hora semanal, e será certamente um substituto de luxo, daqueles que quando entram na segunda parte correm o risco de decidir a partida. Por isso, um grande bem haja ao Henrique, por um grande programa.

Aquele abraço!

01. Efterklang :::: swarming [Tripper ; 2006]
02. Aoki Takamasa Tujiko Noriko :::: track 8 [28 ; 2006]
03. Dirty Projectors :::: i will truck [The Wire – Tapper 14; 2006]
04. Architecture in Helsinki :::: do the whirlwind [In case we die ; 2005]
05. Broken Social Scene :::: our faces split the coast in half [Broken social scene ; 2006]
06. Clap Your Hands Say Yeah :::: let the cool goddess rust away [Clap your hands say yeah ; 2006]
07. The Spinto Band :::: did I tell you ? [Nice and nicely done ; 2006]
08. The Spinto Band :::: crack the wip [Nice and nicely done ; 2006]
09. The Spinto Band :::: spy vs spy [Nice and nicely done ; 2006]
10. The Fiery Furnaces :::: i’m in no mood [Bitter Tea ; 2006]
11. Tortoise and Bonnie ‘Prince’ Billy :::: thunder road [Brave and the bold ; 2006]

Já o Pedro Sousa, correndo o risco de perder a titularidade, volta para a semana!

Setlists de 06 e de 13 de Maio


Emilie Simon
Originally uploaded by Stuart Murdoch.

Dois programas bastante diferentes. Separados pela geografia e pelas sonoridades. O primeiro deles percorrendo algumas das mais recentes novidades que nos chegam de terras gaulesas. Espaço para a chanson française, destacando o novo trabalho de Jane Birkin, 'Fictions', que regista a colaboração entre a protegida de Gainsbourg e vários compositores da actualidade (Neil Hannon, Rufus Wainwright, Cali, Dominique A ...). O resultado é um album recheado de grandes temas pop, recortados à medida da voz de Jane, evocando aqui e ali não só os fantasmas de Gainsbourg, mas como outras referências do passado da intérprete francesa, como os The Kinks ou Tom Waits.

Passagem ainda pelo segundo longa-duração de Émilie Simon (na foto); um regresso bastante esperado, numa altura em que ainda colhe os frutos da excelente banda sonora que assinou, para o globalmente aclamado documentário 'A marcha dos pinguins'. O novo álbum, esse, chama-se 'Vegétal', e traz-nos de vonta a pop/electrónica, por vezes minimalista, de Émilie, assim como o registo singular da sua voz.

De França partimos para o continente norte-americano, trocando a chanson française pela indie pop e pelo folk. O destaque desta segunda viagem, intitula-se 'Time being', onono album de Ron Sexsmith, singer songwriter canadiano, que vem provar duas coisas: não só a vitalidade da cena indie canadiana, capaz de produzir sucessivos trabalhos, aclamados pelo público, assim como a longevidade da sua carreira que data de 1991, e que, a julgar por este último 'Time being', não terminará por aqui. A sua sonoridade, muito próxima de alguns dos seus contemporâneos como Josh Rouse, não tem sido sujeita a grandes evoluções (como de resto é o caso de Josh também), não se tratando este álbum de uma surpresa ou de uma viragem. Trata-se acima de tudo de um conjunto de canções que nos trazem de volta a sua inspirada escrita.

01. Dead Combo :: a menina dança ? [Quando a alma não é pequena ; 2006]
02. Jane Birkin :: steal me a dream {feat. The Magic Numbers} [Fictions ; 2006]
03. Keren Ann :: roses and hips [Nolita ; 2004]
04. Jane Birkin :: Waterloo station {feat. Rufus Wainwright} [Fictions ; 2006]
05. Émilie Simon :: Alicia [Végetal ; 2006]
06. Jeanne Cherhal :: les photos de mariage [Douze fois par an ; 2004]
07. Caetano Veloso :: Irene [Caetano ; 1969]
08. Vincent Délerm :: natation synchronisée [Kensington Square ; 2004]
09. AMpop :: my delusions [My delusions ; 2006]
10. Nina Persson :: sorry angel [Monsieur Gainsbourg revisited {bonus tracks} ; 2006]
11. Franz Ferdinand :: L. Wells [The fallen EP ; 2006]

01. Death Cab For Cutie :: transatlanticism [Transatlanticism ; 2003]
02. Yo La Tengo :: today is the day [Summer sun ; 2003]
03. Jason Collett :: pavement puddle stars [Idols of exile ; 2005]
04. Ron Sexsmith :: never give up [Time being ; 2006]
05. Josh Rouse :: his majesty rides [Subtítulo ; 2006]
06. Ron Sexsmith :: snow angel [Time being ; 2006]
07. Richard Swift :: looking back, i should have been home more [The complete works of Richard Swift ; 2006]
08. The Rentals :: jumping around [Seven more minutes ; 1999]
09. Someone Still Loves You Boris Yeltsin :: Anna Lee [Broom ; 2006]
10. Josh Ritter :: girl in the war [The animal years ; 2006]
11. Radiohead :: no surprises [KCRW Morning becomes ecletic ; 2003]
12. Pavement :: summer babe (winter version) [Slanted & enchanted ; 1992]


Esta semana há mais!

Algo que dá que pensar ...


www.hotfreelayouts.com